Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

5 Levitas ou apenas músicos?

Por Thiago Ibrahim (@thiagoibrahim)

Uma das muitas manias que temos em nossas igrejas é a de chamar alguém que desenvolve algum tipo de trabalho musical de "Levita". Esse é um dos grandes erros teológicos que praticamos por falta de conhecimento das Escrituras, já que na Nova Aliança (a que foi feita com a Igreja), não há [ou não deveria haver] mais distinção de grupos como acontecia em Israel.

O palavra "Levita" significa descendente de Levi, um dos 12 filhos de Jacó que deu origem às tribos de Israel. A notabilidade dos levitas (descendentes de Levi) começou no episódio do Bezerro de Ouro. Moisés descendo do monte, viu a confusão em que se metera o povo e convocou aqueles que fossem pelo Senhor que se juntassem a ele, e a Bíblia diz que "Todos os levitas se juntaram a ele." (Êx 32:26). A partir de então, os levitas (família de Arão) tornaram-se ministros do Senhor no meio de Israel. Deles era a responsabilidade do serviço no tabernáculo, conforme 1 Crônicas 23.28-32.

"28O dever dos levitas era ajudar os descendentes de Arão no serviço do templo do Senhor. Encarregavam-se dos pátios, das salas laterais, da purificação de todas as coisas sagradas e dos outros deveres na casa de Deus.
29Estavam encarregados do pão consagrado, da farinha para as ofertas de cereal, dos bolos sem fermento, de assar o pão e misturar a massa, e de todos os pesos e medidas.
30Além disso, deviam se apresentar todas as manhãs e todas as tardes para agradecer e louvar ao Senhor, e fazer o mesmo 31sempre que holocaustos fossem apresentados ao Senhor nos sábados, nas festas da lua nova e nas festas fixas. Deviam servir regularmente diante do Senhor, conforme o número prescrito para eles. 32Dessa maneira os levitas ficaram responsáveis pela Tenda do Encontro, pelo Lugar Santo e, pela assistência aos seus irmãos, os descendentes de Arão, e pelo serviço do templo do Senhor." 1 Crônicas 23:28-32
Mesmo quem lê bem superficialmente essa passagem verifica que, originalmente, de músicos os verdadeiros levitas não tinham nada. Eles eram sim responsáveis pelo serviço, tanto que não receberam terras na distribuição geográfica das tribos, porém eram sustentados pelas ofertas e dízimos trazidos como contribuição (Números 18).

A ideia de fazer dos levitas responsáveis pela música no templo foi do rei Davi, que além de músicos (1 Crônicas 25:1-7) separou também dentre os levitas porteiros, guardas e padeiros (I Crônicas 9:14-33).

É importante lembrar que este pacto cerimonial foi feito com o povo de Israel, visando a organização do templo. Hoje, como não há (ou não deveria haver) mais distinção de templo, também não há mais distinção sectária. De outra maneira isso poderia ir contra a liberdade trazida com o pacto da Nova Aliança, trazendo divisão em vez de unidade.

Agora que você já sabe que não estamos mais em Israel, todas as vezes em que você olhar para uma pessoa que desenvolve algum tipo de trabalho musica  na sua igreja, veja-o como um músico cristão, uma pessoa dotada de talento musical e que o usa para ajudar na comunhão e celebração.

Se for diferente disso, teremos que fazer uma reforma nos termos que utilizamos hoje. Por exemplo:

  • Pastor passaria a se chamar Sacerdote;
  • Púlpito passaria a se chamar Santo dos Santos
  • Templo passaria a chamar Tabernáculo
  • Igreja local passaria a se chamar Povo de Israel
  • Departamento de Missões passaria a se chamar Espias de Jericó
  • Domingo passaria a se chamar Sábado
  • Prato de bateria passaria a se chamar Címbalo


Precisamos acabar com essa Israelização da Igreja, que não traz benefícios e dificulta o entendimento dos propósitos que Deus tem para nós que fomos salvos pela Graça de Deus através de Jesus Cristo. Que nós, músicos cristãos aprendamos a usar a nossa arte de forma inclusiva e não como forma de segregação, afinal não somos piores ou melhores, apenas músicos.

Soli Deo Gloria.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 comentários:

Jéssica Guimarães disse...

Gostei!Mas é somente um termo.Agora, o objetivo de nosso chamado se compara com a dos levitas ( acho que é por isso que somos chamados assim), Pois temos a função de convidarmos a igreja a um momento de reflexão e adoração a Deus.Não importo com o que me chamam, contanto que verdadeiramente, eu esteja realizando e minha missão e cumprindo aquilo que Deus quer com obediência.e que bom que estamos juntos nessa!Agora vou lançar este post lá no nosso grupo e vamos ver o que eles acham.Abraço e paz!

Flávio disse...

Muito oportuno o texto
Acho bom fazer essa definição, senão tudo acaba perdendo o sentido. O ministerial de música é bom e tem ênfases diferentes, pode muito bem ter um nome diferente e preservar, assim a idéia de levita ao que realmente era

Eduardo Costa disse...

Concordo com a Jéssica, pois independente como somos chamados o mais é como somos vistos e percebidos. A dificuldade que eu vejo em alguns musicos cristãos é ter a visão somente de musico e não de servo. Por isso que acredito que todo musico tinha que ter também a visão de um levita. na preparação,na preocupação no todo, não somente com a sua parte.Alguns musicos estão estrelas que não colocam e nem tiram os instrumentos no dia de cultos por acharem que não dever deles, não praticam a comunhãopois vivem num mundo só dele. Temos que pensar sobre isso...

Thiago Ibrahim disse...

Jéssica, Fláviu e Eduardo,

Que fique bem claro que eu mesmo desenvolvo trabalho musical na igreja, mas não gosto de ser chamado de "levita".

Nós não somos levitas, somos músicos cristãos. Ou seja, usamos a inteligência musical que recebemos de Deus para falar de Cristo, que é exatamente o que todo músico transformado pela ação do Espírito Santo deve fazer. Ou vocês chamam de escriba algum cristão que escreve publica livros?

Não somos melhores que ninguém, apenas temos um talento diferente e uma visão de mundo bastante alternativa!

Valeu pela visita e comentários!

Anônimo disse...

Na minha visão, a única razão que faz com que as pessoas se sintam bem em receber um título que não lhes cabe, no caso Levitas, é mero status, ou o desejo de ser destacado dos outros. É pura vaidade que a gente sabe fazer parte excessivamente da natureza dos músicos e do pessoal do louvor.

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.